Vira-Lata Vermelho


Da minha janela eu vi o cão, ele se parecia com todos os outros que perambulavam na minha rua . O cão estava sujo, montado na sarna, então eu não prestei muita atenção nele. Não tinha coleira para que eu pudesse determinar qual era o seu dono. Semanas se passaram antes que eu finalmente o visse novamente.

Pulei da minha cama em uma manhã, e ouvi um leve gemido. Olhei pela minha janela sobre a minha cama , e vi o mesmo cão. O cão sem olhos.

O sangue encharcado seu revestimento sarnento. Ele olhou para mim por um longo tempo, e eu tive uma onda de sentimentos percorrendo meu corpo, quase como se eu houvesse pulado de um prédio alto e poderia ver o chão correndo em minha direção. Sua mandíbula caiu aberta como se as dobradiças estalasse, e eu me virei. Não era uma coisa que eu queria ver novamente. De alguma forma, eu sabia que ele queria mas do que um lar pra ficar..

Entrei em contato com o controle de animais e descrevi o cão, ansioso para tirá-lo do meu quintal. O operadora no telefone parecia perturbada, como se ela estivesse tremendo.
Ela então me disse para nunca mais ligar novamente.

As carcaças dos animais começaram a aparecer, como se alguém os atirassem aqui no meu quintal, após os matar. Eu até ouvi dizer por alguns dos meus vizinhos, que seus animais de estimação desapareceram, entre gatos e cachorros. 

Estes todos, de alguma forma, apareceram na minha varanda. Não querendo ser preso como assassino, tirei os órgãos e removi as provas. Mas isso não foi nenhum massacre animal comum, eu sabia que aquele cão era o culpado. 

Todos os olhos dos animais foram arrancados, e parece que os animais estavam tentando se matar antes de serem arrastados e jogados em uma pilha, já sem vida, na minha varanda.

Dias depois, eu ouvi um barulho de sino no meio da noite. A porta bater. Peguei meu telefone para fornecer algum tipo de luz, não vi nada no meu quarto. Aliviado como eu estava, eu senti uma presença na minha casa, então eu saí da cama. Entrei na sala principal da casa e vi.

Um rastro de sangue, como se algo houvesse se arrastado pela casa. Seguindo o sangue me levou a uma porta aberta. A porta da adega. Enquanto eu descia os degraus escuros para o interruptor de luz, eu sabia que algo estava errado. Eu podia ouvir fracamente o zumbido das moscas acumulando em uma vítima desconhecida. Cheguei ao pé da escada e as luzes se acenderam, revelando a imagem que assombra os meus sonhos.

Eu vi um cadáver humano, com as mãos arrancadas e roídas pelo cão. Junto com os outros animais mortos, esta pessoa tinha a mesma marca perturbadora. Os olhos da pessoa foram arrancadas de suas bases. Enquanto eu caminhava ao redor do corpo , ficou claro que o golpe final foi entregue pelo cão ao morder através da veia jugular de sua vítima. Eu virei os restos mortais do que sobrou do ataque. 

Na parte traseira da pessoa, eu vi marcas entalhadas por garras que enunciavam "Vira latas vermelho", ao lado de um sinal de nascença muito semelhante..

Eu tive uma forte sensação de que este não era o fim do pesadelo, o corpo era meu...

0 comentários: