Magia Sexual

Muito se ouve falar em sexo tântrico, kundalini e coisas afins, mas pouco se fala sobre suas aplicações práticas em se tratando de magia. Pois bem, vamos lá!


Não precisaria dizer que o combustível da magia é a energia espiritual, pois isso é sabido por todos, logo, percebemos de inicio que toda maneira de acumular energia é propícia à realização de magia. Nesse sentido, a prática sexual pode fornecer uma quantidade de energia surpreendente para a realização de magia, mas ai aparece a dúvida: devo transar dentro de um círculo mágico? Sim, desde que você seja um personagem de um livro do Terry Pratchett, não sendo, vamos acordar do sonho e partir para a prática.

A energia sexual também é conhecida como energia vital ou energia criadora, é desnecessário explicar o porquê, então, uma vez que essa prática possui o poder de gerar uma nova vida, possui ela, também, o poder requerido para a realização de muitos sortilégios mágicos, principalmente no tocante à magia mental.

Antes de prosseguir, precisamos pensar um pouco no “Fiat lux”. Segundo a mitologia judaico-cristã, quando o universo estava sendo criado, o deus soberano e único deles disse “haja luz”, então a luz veio a existência... Vamos pensar nesse “Fiat lux” como sendo a essência da magia mental. Esse deus não ficou simplesmente mentalizando que a luz surgiria, foi muito mais que uma ação otimista... Ele pensou a luz e, tendo pensado ela, determinou que ela saísse do mundo das ideias e se tornasse existência. “Penso, logo existo”, disse Descarte, mas uma cadeira não pensa e mesmo assim existe... Claro! Ela foi feita por alguém que pensa... Essa é a ideia que eu quero trazer sobre magia mental, quero afastá-la do simples otimismo que muitos pensam ser a magia, não devo ficar pensando “vai chover, vai chover, vai chover” e pensar que estou fazendo magia mental para chover, isso até mesmo um torcedor de futebol pensa quando seu artilheiro está próximo ao gol adversário... Magia mental é criar no mundo das ideias (vide Platão) o que deseja obter e, posteriormente, trazer a existência física isso que já criamos no mundo das ideias.

Voltando a magia sexual, essa se mostra bem mais interessante que as demais (óbvio)! Durante o ato sexual, devemos sentir a energia da(o) parceira(o), sentir com intensidade e, usando de todos as suas capacidades extrassensoriais, mergulhar nessa energia de modo a senti-la no mais próximo da sua totalidade. Após isso, devemos começar a perceber a nossa própria energia espiritual, senti-la crescer, se expandir em direção à outra pessoa e devemos atuar em harmonia de maneira a tentar fundir essas energias. Tendo unificado essa energia, devemos partir para o terceiro passo, lembrar que somos uma pequena parte de um todo, sendo assim, dispomos também da energia que existe em abundância no Universo, sendo que devemos tentar nos ver como parte de um todo maior, e, sendo assim, buscar desse “todo” mais energia para incorporar à essa que já foi criada entre o casal. Tendo pleno domínio dessa energia gerada e transmutada, é a hora da magia em si. Devemos idealizar a magia que queremos realizar e “criá-la” no mundo das ideias, e então, como o “Fiat lux”, devemos trazê-la a existência física...

Isso tudo é mais simples do que dizem, mas é mais difícil de fazer do que imaginamos. A magia mental e sexual requer grande disciplina de pensamentos, assim como um alinhamento exato dos seus desejos e de como se dará a magia. Além disso, é interessante que a(o) parceira(o) esteja ciente da magia e esteja em sintonia com o mesmo propósito, isso poderá assegurar um resultado satisfatório. Outro agravante para a realização dessa magia é a dificuldade de compreensão da magia mental pelos supostos praticantes dela, uma vez que, ao meu ver, as pessoas costumam confundir a magia mental com um pensamento otimista (estilo O Segredo e coisas do tipo).

Fonte: A Casa

0 comentários: