“Computador” de 2 mil anos

Misterioso “Computador” datado em mais de 2 mil anos

“Há mais mistérios entre o Céu e a Terra do que supõe a nossa vão filosofia “ – William Shakespeare


Entre os tesouros do Museu Arqueológico Nacional de Atenas, está um dos mais enigmáticos objetos da antiguidade, datado em mais de 2 mil anos, a Máquina de Antikythera, ou Anticítera. 

Descoberto em 1901 por mergulhadores, os pesquisadores não conseguiam encontrar o propósito deste dispositivo, devido à corrosão causada por séculos sob o oceano. Com o avanço tecnológico atual, os cientistas foram capazes de decifrar o seu objetivo evasivo e complexo, após mais de 100 anos de más interpretações, e parece que este dispositivo é de maior importância para a história da humanidade do que jamais se imaginava.

Construído há mais de 2.000 anos atrás, este mecanismo complexo serviu como um dispositivo de cálculo que ajudou a determinar posicionamentos astronômicos e alinhamentos para efeitos de calendário.

Posições planetárias de Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno, os planetas até então conhecidos pelos antigos, podia ser calculado usando o dispositivo.


O design da Antikythera continua um mistério. Inscrições no dispositivo sugerem que o mecanismo tenha sido construído em Siracusa, na Itália, antigamente pertencente à Grécia, cidade natal do inventor e filósofo Arquimedes, como nos conta o site oficial Antikythera-Mechanism.

A razão pela qual este dispositivo antigo tem intrigado tantos pesquisadores é porque prova que o entendimento tecnológico avançado é semelhante ao do século 18, apesar de ter sido construído em torno de 150 a.C. Se compararmos a outros instrumentos antigos, ele revela que nenhum se compara à complexidade deste super-computador, exceto pelos construídos mais de 1.000 anos mais tarde.

Seria essa a prova de que as civilizações antigas possuíam conhecimento tecnológico que era muito além do que a ciência moderna considera?

Michael T. Wright.

Para provar as capacidades deste computador antigo, Michael T. Wright, mecânico e historiador do Reino Unido, reconstruiu um mecanismo de Antikythera totalmente funcional a partir de placas de metal recicladas, assim como o mecanismo original era utilizado, e agora está revelando toda a gama capacidades deste bico de obra impressionante.

É possível que os antigos construtores compartilharam o mesmo destino que sua criação? E se assim for,será que eles deixaram para a humanidade mais alguns milhares de anos depois decifrar e entender o cálculo de posicionamento astronômico?

Com descobertas como esta, podemos abrir os nossos olhos e ver que o passado não é tão arcaico como a ciência moderna descreve, e que civilizações avançadas podem ter existido na Terra e talvez foram dizimadas por desastres naturais ou até mesmo por suas próprias armas.

Na verdade, é bem possível que nossa espécie esteja passando por uma evolução cíclica, o que significa que cada vez que nosso conhecimento se expande, algo terrível acontece e acaba limpando assim todo o progresso alcançado.

0 comentários: